sexta-feira, 29 de abril de 2016

IMPEACHMENT É GOLPE, E MUITO DURO

            As palavras não são utilizadas apenas para comunicação entre as pessoas, mas para muitas outras finalidades, de acordo com a intenção do ator. Chacrinha era um mestre nesta arte. Ele dizia que "quem não se comunica se trumbica", mas também dizia "Eu não vim aqui para explicar, eu vim aqui para confundir".
            Se você pensa que virei governista se enganou. O "golpe" que me refiro é o castigo imposto àqueles que foram atingidos com o afastamento do cargo por cometerem crimes contra a administração pública. 
            Feito este preâmbulo tentarei explicar definitivamente o que já foi exaustivamente esclarecido em relação aos acontecimentos registrados em minha terra natal onde, mais até do que no cenário nacional com toda a efervescência da apreciação do pedido de impeachment da Dilma, palavras são literalmente jogadas ao ar  através dos meios mais populares de comunicação de massa.
            Usando os termos mais em moda poderia chamar de "pedaladas morais" o que foi dito esta semana na rádio comunitária, inclusive usando o nome deste blogueiro. O objetivo não se enquadra em nenhuma das frases do Chacrinha. Tem  como objetivo enganar a população no afã de conseguir votos.
            Sem acrescentar nada de novo, mas apenas como orientação e para facilitar a pesquisa, enumero alguns dos muitos esclarecimentos já feitos neste blog sobre o assunto:


-  EX-PREFEITO MA - Bandido ou Doente;

-  LEDO ENGANO;

-  PREFEITO RECONHECE CASSAÇÃO PELA CÂMARAe

            Para resumir, veja as várias matérias postadas no ano de 2011 sobre o assunto clicando no link abixo:

RETROSPECTIVA 2011 NOVA RUSSAS

            Não poderia encerrar sem esclarecer que graças à cassação promovida pela Câmara Municipal o prefeito cassado poderá ser beneficiado com prescrição de pena face a permanente falta de juiz na Comarca, onde se encontram seus processos à espera de julgamento. Caso ela não tivesse ocorrido o processo criminal que o levou à prisão por mais de seis meses, a meu ver, já teria sido julgado no Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, decisão confirmada pela última instância da Justiça, em Brasília.

            Espero com isto não ter que dar mais explicações ou fazer defesa de acusações infundadas.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

A PRAGA MAIOR

            Está no nome de Jesus, no nome de pessoas, no nome da capital da República Tcheca e agora  no dia a dia da minha cidade. Lá ela está no campo destruindo plantações e na cidade disseminando doenças. É verdade que tudo isto sempre existiu e sempre existirá, mas é por esta razão que nossa carta magna estabeleceu limites mínimos de gastos bem como a obrigação do Estado, em todos os níveis, cuidar da saúde do cidadão.
            Em Nova Russas a situação ultrapassou o limite do suportável como denunciam os blogs e outras mídias locais. O caos que se encontra o município já chamou a atenção de emissoras de televisão que foram até lá registrar o estado de calamidade da saúde pública destacando-se a ocorrência de doenças como dengue, zika e chikungunya constituindo-se numa verdadeira pandemia.
            Embora a situação da saúde em todo o país seja precária por falta de investimentos, vale lembrar que nossa cidade se destaca entre as demais da região, o que nos leva a concluir que a nossa praga maior é a administração pública, exaustivamente cobrada pelos meios de comunicação que não estão em sua órbita.
            Enquanto isso, aos meios de comunicação que estão aboletados no poder, não faltam motivos para reforçar esta aliança promíscua. Enquanto o governo cria dificuldades  para o cidadão eles vendem facilidades em matérias que dão destaque a qualquer coisa positiva garimpada numa terra onde predominam as notícias negativas.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

COINCIDÊNCIAS?

            Tudo que não tem explicação ou prova passa a ser tratado como coincidência e, neste período conturbado da vida política e econômica do país, são abundantes os fatos que caem neste limbo.
            Por ordem cronológica podemos enumerar os casos mais conhecidos do público a partir dos fatos geradores do pedido de impeachment constantes da denúncia em apreciação no Senado.
 - as chamadas pedaladas bem como os decretos de suplementação orçamentária ocorreram no ano eleitoral e em valores estratosféricos;
 - aumento de energia, juros e combustíveis logo após as eleições;  - as jovens filhas dos Ministros Marco Aurélio e Luiz Fux são indicadas a altos cargos  no judiciário derrotando profissionais mais experientes;
- nomeação do Lula para ministro quando estava ameaçado de prisão;
 - o triplex e o sítio que Lula usa são de amigos mas reformados por empreiteiras envolvidas na Lava Jato;
 - o PT foi protagonista de todos os pedidos de impeachment desde sua fundação e só agora diz que é golpe; e
 - as decisões de Renan Calheiros sempre "vão ao encontro" dos interesses petistas.
            Para dar um exemplo de verdadeira coincidência cito o caso dos três deputados que foram ministros da aviação civil e votaram contra Dilma. São eles Mauro Lopes, Eliseu Padilha e Moreira Franco que, por coincidência, são do PMDB.

terça-feira, 19 de abril de 2016

PROFESSORES DE CRATÉUS SÃO VÍTIMAS DO SOCIALISMO PETISTA

            Tenho insistido em mostrar que numa república federativa as leis valem para qualquer um dos entes, mas vejo que a regra vale também para o desrespeito a elas como prova a matéria do Blog do Valdecy Alves que faço questão que o leitor conheça integralmente clicando na imagem abaixo:

               BLOG DO VALDECY ALVES 

segunda-feira, 18 de abril de 2016

VITÓRIA DO POVO NA PRIMEIRA BATALHA DO IMPEACHMENT

               
            Quase todos os deputados se referiram ao povo nas ruas. Os oposicionistas usando como argumento o descontentamento com a atual situação econômica que levou alguns milhões deles ao desemprego, outros pela volta do dragão da inflação que corrói o salário daqueles que ainda contam com o emprego. Já os defensores da Dilma, conduzidos pelas entidades representativas dos movimentos ditos sociais, todos aboletados no governo, têm como principal argumento o fato dela ter recebido 54 milhões de votos, esquecendo que a maioria destes hoje se encontra do outro lado, legitimando os atos da oposição.
            Ontem ficou provado que alguns governistas, que antes se dirigiam às massas na tentativa de convencê-las, conforme citei em matéria anterior, (AQUI) não lograram êxito e, levados pela pressão das ruas mudaram seu discurso e seu voto. Os que resistiram usaram o patético discurso de golpe visto que ao analisar o processo que tem base na Lei 1079/50, a Suprema Corte decidiu pela sua legalidade pelo elástico placar de oito votos a dois.
            No meio de tanta mesmice alguns exorbitaram no apelo inútil falando até em nome do povo latino americano como fez o Deputado mineiro Pedro João do PT. Uma deputada observou que os oposicionistas não se referiam ao objeto do processo mas se limitavam a homenagear a família, o que, segundo ela, prova que estão fazendo um julgamento político, sem apreciar a ocorrência de crime ou não.
            A falta de argumento levou os deputados da situação a apelarem até para a grande mentira que a ainda presidente Dilma Rousseff arriscou a vida pela democracia quando todos nós sabemos que ela pegou em armas pela implantação da ditadura do proletariado (Comunismo). Como sempre, sobrou acusação aos meios de comunicação, principalmente à Rede Globo, afirmando que seria ela a responsável pela presença do povo nas ruas como aconteceu em 1992 no processo do Collor de Melo.
            Comparar o que acontece hoje com aquele tempo é no mínimo uma grande ignorância pois sabemos que à época a Globo detinha uma audiência muito superior aos dias de hoje com o surgimento de grandes emissoras concorrentes e, principalmente, da internet. Além do mais, sem querer defender a emissora, devo lembrar que seu apoio foi uma resposta ao então presidente Collor de Melo que pretendia passar a perna nela quando criou a Rede OM com sede no Paraná em sociedade com políticos importantes daquele Estado. Daí o nome do empreendimento: Organização Martinez.
            Muitos não lembram, outros tantos não sabem, mas fica patente a intenção do Collor quando a nova emissora tirou da Globo vários profissionais, entre eles Galvão Bueno que pela primeira vez deixou a emissora.

sábado, 16 de abril de 2016

O AFTER DAY DO IMPEACHMENT

           Estou convencido que o processo do impeachment terá continuidade e seu After Day acontecerá com a votação do Senado Federal a quem cabe o julgamento final, mas seja qual for o resultado teremos sérias dificuldades pela frente.
            Imaginemos a hipótese mais provável que é a aprovação do impeachment. Em se confirmando tal previsão teremos que enfrentar a ira dos cães  amestrados que já mostram suas garras em atos violentos por todo o país com apenas a ameaça de perder a ração que o governo lhes assegura. Com isto, fatalmente o governo de plantão recorrerá às Forças Armadas para o cumprimento da sua função constitucional de restabelecer a ordem no país.
             No segundo cenário não teremos apenas a continuidade  deste desgoverno, mas a consolidação do projeto de instalação do modelo bolivariano, razão da criação do Foro de São Paulo e da catástrofe econômica produzida pelas ações do governo com este fim. Mais uma vez vislumbro a possibilidade de intervenção constitucional militar uma vez que a população resistirá a este propósito de transformar nosso país numa nova União Soviética como quer o megalomaníaco Lula da Silva e sua utopia comunista com nova roupagem de "Socialismo".
            Por ser emblemático, posto abaixo vídeo com declaração do principal articulador do projeto bolivariano.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

VIOLÊNCIA GERA MAIS VIOLÊNCIA

             Era de se esperar que à medida que se aproxima a votação da admissibilidade do impeachment os ânimos de todos ficassem mais exaltados, mas quem deu as cartas foi o lado do planalto hoje dividido por um muro. Minha afirmação categórica tem base numa série de atos violentos mostrados em vídeo há mais de seis meses neste blog com o título COMEÇOU ASSIM, COMO VAI TERMINAR, SÓ DEUS SABE.
            Agora, depois de ter chegado a situação de descontrole, parlamentares governistas reclamam da hostilidade que estão sendo vítimas. O fasto em si é condenável, em qualquer que seja o caso, mas revela a indignação do povo com os que defendem um governo que só tem lhes trazido dissabores no lugar das promessas de palanque da última eleição presidencial.
            Não me refiro a manifestações orquestradas e organizadas por grupos, mas da violência que tem sido verificada em ambiente público contra membros do governo e seus apoiadores. Especificamente sobre parlamentares, suas posições diante do impeachment tem gerado manifestações distintas como evidenciam vídeos postados nas redes sociais.
            De Norte a Sul atos violentos são registrados em aeroportos contra deputados e senadores como ocorreu aqui no Ceará com o Deputado Guimarães (AQUI) e no Paraná com a Senadora Gleisi Hoffmann. (AQUI)
            Em sentido contrário parlamentares como a Senadora Ana Amélia do Rio Grande do Sul (AQUI) e o Deputado Jair Bolsonaro (AQUI) são recebidos com alegria e aplausos.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

O OVO OU A GALINHA?

            Até parece que Ricardo Boechat está pautando meu blog pelo número de postagens em que ele é citado, o que não é totalmente verdadeiro, mas também não é igualmente falso. Hoje, apesar das colocações coerentes compatíveis com seu status intelectual, Boechat deixa escapar sua tendência governista ao chamar os manifestantes pro-Dilma respeitosamente de "petistas" enquanto no mesmo contexto chama os contras de "coxinhas".
               Embora tenha abordado vários aspectos do momento trágico que vivemos foco no tema escolhido para título em alusão ao grande mistério da humanidade que visto pelo lado científico defendido por Darwin, foi o ovo, enquanto visto pelo lado religioso como descrito no capítulo 1 (Gênesis) da Bíblia, foi a galinha. A comparação tem como escopo a afirmação do jornalista que a crise econômica, no mínimo, potencializou a crise econômica, apresentando como justificativa fatos isolados pinçados aqui acolá . A este respeito existem controvérsias, o que nos leva a exaltar a riqueza do jornalismo.
            Aproveito para fazer um elogio pelo reconhecimento do erro apontado por um ouvinte numa demonstração de humildade do jornalista. Pego o gancho para dizer a ele e a quem interessar possa que a legitimidade tão invocada pelos governistas não é algo definitivo e pelo andar da carruagem pode morrer afogada nas inúmeras provas de compra de votos surgidas nos últimos tempos.
            Em relação aos "indefinidos" e entre eles o grupo majoritário de "indecisos", não podemos desprezar o peso da opinião pública como fator determinante capaz de derrubá-los do muro.

terça-feira, 12 de abril de 2016

VIDENTE OU PREVIDENTE?

            Não importa o sentido que se dê, afinal nossa língua nos permite estes devaneios linguísticos, muito menos o juízo moral porque sei que qualquer que seja a interpretação não faltarãso inquisidores de ambos os lados querendo me levar à fogueira por algum motivo.
            No meu entendimento de vidente a vaca tossiu e foi pro brejo. O fato da oposição não ter conseguido dois terços dos votos na aprovação do relatório do Deputado Jovair Arantes não me faz ser previdente em grafar a derrota dos governistas no plenário da câmara. Sem considerar o peso que a derrota na Comissão impõe, entendo que no universo maior do plenário não necessariamente guardará a proporcionalidade dos votos obtidos nesta primeira fase do processo.
            O que me leva a esta conclusão é o fato de que os membro escolhidos para a missão de compor a Comissão foram selecionados dentre os melhores de cada quadro partidário e, desta forma, aqueles mais aguerridos da situação são justamente aqueles gastaram todas as balas disponíveis naqueles discursos enfadonhos e repetitivos de não quer perder as benesses do governo a exemplo das corporações como MST, MTST, CUT, UNE, Etcétera, Etcétera.
            As oposições, por sua vez, surfam na indignação popular que anseia pelo fim deste desgoverno sem se importar com quem o suceda como querem fazer crer parlamentares da tropa de choque governista nas duas casas do Congresso. É razoável notar que o número elevado de "indecisos" deve-se ao dilema de aceitar ou não as tentadoras ofertas e a incompatibilização com os eleitores, na sua grande maioria, de braços com a oposição.

SERÁ QUE TEM? - Educação em audiovisual

            Os últimos acontecimentos envolvendo toda a sociedade e, isoladamente, corporações e indivíduos, como aconteceu no  evento contra o impeachment da Dilma com a participação do ex presidente Lula, artistas como Chico Buarque e outras figuras importantes da vida cultural do país, nos leva a fazer uma análise das leis de incentivo, notadamente da Lei Rouanet que, pelo que acompanhamo nas redes sociais, é o que move esta classe. (AQUI) 
         Em seminário realizado para debater o incentivo à produção cultural o Presidente do Conselho de Comunicação Social, órgão com previsão constitucional e criação aprovada pelo Congresso Nacional, cita a produção de audiovisual como uma arte que, mesmo não tendo objetivo comercial, tem sua importância histórica. (AQUI a 3h08m da gravação)
            Sem qualquer incentivo financeiro, uma professora, com a participação dos seus alunos, produz um audiovisual tendo como palco nossa casa na fazenda Timbaúba, provando sua dedicação ao ofício de ensinar. Desestimulada pelo baixo salário, mesmo após ter concluído dois cursos superiores na área do magistério, ela deixa de ensinar para cursar nova faculdade que lhe permita, ao final, exercer nova profissão com horizontes mais palpáveis.
            A ideia de postar este documento, além de mostrar a realidade da educação e da cultura em nosso país, tem como objetivo principal homenagear essa mulher guerreira que tem me trazido alegrias e boas lembrança como esta quando fazia as vezes de cameraman, daí o motivo da má qualidade das filmagens.(Risos)


CLIQUE E ASSISTA

segunda-feira, 11 de abril de 2016

NO JORNALISMO NADA SE CRIA, TUDO SE COPIA

            Entre muitos outros jornalistas tenho predileção por dois que, a meu ver, são antagônicos nas ideias e até mesmo no campo pessoal como sugere matéria da revista Veja, (AQUI)   embora Ricardo Boechat se esforce bastante para mostrar-se imparcial, enquanto Reinaldo Azevedo é assumidamente contrário às teses defendidas por aqueles que desfrutam do atual governo, o que me permite uma análise balizada na opinião dos dois que considero os maiores jornalistas do país.
             Para respaldar o título recorro a Lavoisier para expor minha opinião de que, "assim como na natureza, no jornalismo nada se cria, tudo se copia".  Sem querer justificar minha condição de amador, lembro que Ricardo Boechat sequer tem formação acadêmica conforme declara em entrevista, (AQUI) o que não tira seus méritos. 
            Feitas estas colocações passo a tecer comentário sobre o ponto de vista de Boechat expresso no dia de hoje em relação ao atual momento político e o que restará de benefício independentemente do resultado que vier a ter o impeachment da Dilma.
            A exiguidade de tempo que o rádio impõe não permite que sejam apresentados maiores dados sobre a riqueza resultante deste processo na formulação de propostas no sentido de aprimorar a nossa democracia.
             Por não ter o mesmo problema do jornalista usarei meu tempo disponível de aposentado para acrescentar ao seu comentário resultados concretos já em tramitação no Congresso Nacional. O primeiro, de iniciativa do Ministério Público Federal, que obteve mais de 2 milhões de assinaturas, superando a meta prevista de 1 milhão e meio, foi  o Projeto de Lei 4850/16 de iniciativa popular entregue ao Congresso que analisará as dez medidas contra a corrupção ali propostas.
            Mais importante ainda no tocante à participação popular é a Proposta de Emenda à Constituição - PEC Nº 8 de autoria do jovem senador pelo DF, Regulfe, com o apoio de grande parte dos senadores da oposição e da situação que acrescenta o § 3º ao Art. 61 da Constituição Federal para aplicar aos projetos de lei de iniciativa popular o célere rito de tramitação das Medidas Provisórias. A PEC está sob a relatoria de outro jovem senador Randolfe Rodrigues do partido REDE do Amapá. O autor argumenta que a assinatura de significativo número de brasileiros, conforme exigido pela lei, de conformidade com a constituição federal de 88, não pode ter peso menor do que a assinatura de um presidente da república.
            Em direção contrária a este sentimento popular expressado nestas iniciativas, pesquisa do Instituto Data Folha aponta o ex presidente Lula da Silva à frente dos demais concorrentes à presidência em 2018 seguido por Marina Silva que saiu da hibernação depois de seis meses sem se manifestar sobre os acontecimentos em torno do impeachment.
            Fica difícil entender, pelos números do próprio instituto, que a menos de um mês (AQUI) apontava rejeição recorde de Lula, agora lhe traga números tão alvissareiros mesmo com os últimos acontecimentos recomendando o posicionamento contrário do eleitor.
            Se a pesquisa está correta, só nos resta esperar como se comportará o eleitor ao tomar conhecimento da última publicação da revista Época que traz a denúncia da existência de conta secreta de Lula na Suíça no valor de aproximadamente 53 milhões de reais, enquanto seus eleitores, assim como o resto da população, enfrentam o desemprego e a inflação entre outros frutos da corrupção comandada por ele. (AQUI)

domingo, 10 de abril de 2016

GUERRA É GUERRA - Cada lado usa a arma que tem

                      FOLHA DE SÃO PAULO 
  CodigoFonte.com.br

O PT QUER RETIRAR O JUS SPERNIANDI DA MÍDIA

            Reconheço que tenho sido muito assíduo na rede, mas convenhamos, o momento não me permite ficar na outra rede enquanto o caldeirão da política ferve. A cada momento coisas que eu considero até engraçadas acontecem protagonizadas pelos defensores deste governo moribundo. Para pegar mais leve chamo de inocente a matéria veiculada no site CLICK POLÍTICA com chamada de urgência sobre possíveis manobras da Rede Globo com vistas a influenciar a tomada de decisão de deputados na votação do pedido de abertura do impeachment da Dilma.
            Vale lembrar que, embora tenha sido a emissora que mais se beneficiou de verbas publicitárias nos governos do PT levando inclusive os herdeiros de Roberto Marinho a condenar o seu apoio ao regime militar, hoje é apontada por eles como inimigo o seu número um.
            Que seja assim. Afinal quem paga tem o direito de escolher, embora seja como nosso dinheiro, como tem sido feito frequentemente, mas não podem tirar o direito da Rede Globo de contra-atacar como denuncia o site em sua publicação cujo teor inteiro torno acessível clicando na imagem abaixo:
  CodigoFonte.com.br

UM ÍDOLO PRA CHAMAR DE SEU

            Confesso que tive dúvidas sobre a veracidade do vídeo, mas diante do que se sucedeu, com a simples retirada do Facebook sem a necessária contestação do artista, sou levado a insistir no assunto. Esta iniciativa tem por objetivo dar uma resposta aos "Mortadelas" que me criticaram pela postagem UM HEROI PARA CHAMAR DE MEU e, como de costume, me tratando por "Coxinha".
            Para minha "quase surpresa"  porque já esperava que aconteceria, embora por outra via, o vídeo foi retirado do ar sem o necessário esclarecimento do artista, mas sem antes deixar de ser compartilhado por 800 pessoas em meno de 24 horas conforme matéria do Portal EXTRA da Rede Globo.
            Clique na figura abaixo e veja a matéria na íntegra.

  CodigoFonte.com.br

sábado, 9 de abril de 2016

PÚBLICO E PRIVADO

            À primeira vista parece simples a distinção entre as duas coisas, mas conceitualmente temos que contextualizar a questão visto que nem tudo que é estatal é público e vice-versa.
            Analisando com mais profundidade verificamos que a chamada universidade pública não vai além do fato de ser estatal. A  desmistificação desta ideia se dá quando constatamos que ela não atende ao fim a que foi destinada. Recurso como a criação das "cotas" não só mascara o problema como deixa à luz a intenção do governo de tirar proveito da situação sem encarar a verdadeira causa do problema. É como se tivessem tentando concertar a inclinação da Torre de Pisa, coisa que nem mesmo os italianos tentaram.
            Na minha maneira de ver a solução passa por investimentos públicos nas bases da educação para que a partir daí, de forma realmente democrática, todos possam cursar a universidade estatal podendo chamá-la de pública. Como se dá hoje apenas os que dispõem de melhores condições financeiras chegam lá porque  frequentaram escolas particulares ou, no mínimo, se prepararam em cursinhos igualmente caros.
            E, por falar em construção, alicerço minha opinião em casos concretos como o da Alemanha, a maior economia da Europa, que após sua reunificação com a queda do Muro de Berlim teve que convocar professores aposentados para voltar ao trabalho na educação dos irmãos do lado oriental face ao atraso provocado pelo regime comunista nos anos que estiveram separados pelo muro.
            Para não ficar só no exemplo alemão podemos citar dois outros países do lado oriental. O Japão, quase destruído por duas bombas atômicas nas cidades de Hiroshima e Nagasaki hoje ocupa o 3º lugar entre as maiores economias do mundo graças aos investimentos maciços feitos na educação. Já na Coreia do Sul, também vítima da luta pela hegemonia mundial entre Estados Unidos e União Soviética após o fim da 2ª Guerra Mundial que dividiu o país original em dois, hoje tem economia 18 vezes maior do que sua vizinha Coreia do Norte e lidera o setor de tecnologia da informação no mundo propiciando o surgimento de empresas gigantes no mercado mundial como a Sansung e LG.
          Dos exemplos citados tiramos a lição de que somente com investimento em educação poderemos aproveitar melhor a abundância de recursos naturais que dispomos e o emprego da mão de obra ociosa e despreparada que dispomos em virtude da implementação de medidas inspiradas numa visão "socialista/comunista" que não funcionou em nenhum lugar do mundo como ficou demonstrado acima.

A REGRA É CLARA

            A frase mais utilizada pelos parlamentares nos últimos tempos não se relaciona com a política, muito menos com a Justiça, mas com o futebol. O objetivo desta metáfora visa a dar relevo ao argumento de quem a emprega em analogia às leis.
            Para tentar explicar melhor recorro a dois episódios sobre os quais o atual governo se manifestou demonstrando não ter apreço às leis. Falo inicialmente do caso da execução do brasileiro na Indonésia por tráfico de drogas, não esquecendo de registrar que não concordo com a pena capital aplicada no caso, mas sou forçado a admitir que está prevista em lei.
            O segundo fato é mais próximo da questão em foco. Trata-se do impeachment sofrido pelo Bispo Fernando Ludo em 2012  quando Presidente do vizinho Paraguai por descumprimento de leis, segundo a Câmara dos Senadores, pelo placar de 39 a 4 e reconhecido como legítimo pelo Tribunal Superior Eleitoral do país.
            Embora em situações e regiões distintas os dois fatos guardam entre si o mesmo princípio; obediências às leis.  É importante salientar que em ambos os casos nosso governo envidou todos os esforços, inclusive diplomáticos na defesa dos acusados. Enquanto isso, diante de nossos olhos são cometidos crimes que vão desde ameaças explícitas dentro do Palácio do Planalto passando por atos de violência cometidos pelos "sem" terra ou teto chegando até a governos bolivarianos e outros aliados ideológico em todo o mundo sem ao menos uma manifestação de repúdio.  
            Desta forma fica cristalina a conveniência do governo na análise de fatos reais como acontece no momento atual em relação ao pedido de impeachment da Dilma e a possível assunção de Temer ao posto de Presidente mesmo tendo sido escolhido por duas vezes para o cargo de vice sabendo que entre as suas atribuições  está a de substituir o titular em seus impedimentos ocasionais ou definitivo.

UM HEROI PRA CHAMAR DE NOSSO

            Nos últimos tempos novas descobertas têm permitido que a tecnologia esteja cada vez mais presente em quase todas as áreas da atividade humana. Paradoxalmente os valores morais, éticos e religiosos têm sido desprezados ou, em muitos casos, distorcidos com o intuito de se tirar proveito. Como resultado temos uma massa de fanáticos manobrados por falsos pregadores com a promessa de levá-los ao paraíso, último refúgio buscado para fugir dos males que lhes afligem.
            Em meio a essa massa muitos são os mais esclarecidos que procuram de forma sensata por aqueles que ainda respeitem valores espirituais entre os poucos que nos restam. Desta forma surgem, na figura de autoridades ou exemplos, os heróis que eles tanto procuram para a missão de salvá-los.
            Para entender melhor é preciso voltar aos tempos não muito distantes, visto que os vivi, (kkk) em que não contávamos com muitos recursos tendo que recorrer, no máximo, aos ídolos do cinema, da música e até das revistas de quadrinhos nos personagens  que nos inspiravam como Tarzan, Fantasma - hoje é outra coisa - Zorro e porque não relembrarmos, já que temos similares em nossos dias, o "quaquilionário" - estamos chegando lá - Tio Patinhas. 
            Depois deste passeio pelo tempo volto à dura realidade dos nossos dias atuais para falar de um herói que, ao contrário do que pregam seus desafetos, não surgiu com a operação Lava Jato como prova o vídeo abaixo do ano de 2009 quando sequer imaginávamos que a operação viesse a existir.
            Finalizo conclamando a todo cidadão de bem a dar o apoio necessário para que o juiz Sérgio Moro possa concluir sua mais importante missão e não deixemos para reconhecer seu trabalho  somente depois de sua morte como sempre acontece em relação a nossos heróis.

  CodigoFonte.com.br

sexta-feira, 8 de abril de 2016

DE VOLTA À MINHA TERRA

            Quem dera que o título acima não se encontrasse no sentido figurado! Valho-me ainda da figura de linguagem para narrar uma estória que teve como palco a Câmara Municipal da minha cidade.
            Transcorria uma sessão extraordinária destinada a homenagear uma figura que teve atuação importante na vida da cidade. Pessoas representativas da sociedade e da política local compunham a mesa, convidados que foram pela presidência da Casa.
                    A certa altura da reunião um vereador sobe ao púlpito para, supõe-se, enaltecer as qualidades da pessoa homenageada. O que se seguiu foi um discurso fora do tom dirigido especialmente a um dos convidados. Até aí tudo bem, considerando que se tratava de um ex prefeito da cidade, embora o mesmo tenha sido defenestrado do comando do município após julgamento daquele legislativo, como manda a lei.
            O ápice deste episódio veio quando o discursante passou a atacar os colegas e demais pessoas que se envolveram no processo que culminou com o afastamento definitivo do então prefeito. Não satisfeito, o vereador passou a incitar a violência dizendo que "se o fato tivesse ocorrido lá na Paraíba essas pessoas não estariam vivas". Poderia ter sido apenas um discurso infeliz se não estivessem presentes à sessão pessoas que participaram diretamente do processo, além dos seus colegas, que se sentiram profundamente ofendidas. 
            Provando que o ato falho não  apagou as muitas qualidades que detém o Edil, o mesmo galga o posto maior da Casa e, por ironia do destino, tem seu mandato ameaçado por denúncia feita justamente por aquele que foi merecedor dos seus elogios e veemente defesa.

QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS OU FATOS REAIS TERÁ SIDO MERA COINCIDÊNCIA

TIRANDO O "S" DA CRISE POLÍTICA

            Assim como os economistas recomendam em crises econômicas, os políticos resolveram tirar o "S" da crise e o resultado é uma avalanche de "causos" acompanhadas pelos demais setores envolvidos na problemática, principalmente por parte dos defensores do governo em relação ao processo de impeachment.
            Entendendo desnecessários maiores comentários sobre as chamadas "pedaladas fiscais" tratadas (AQUI) em post anterior. Especificamente sobre os decretos de créditos suplementares que compõem a denúncia apresentada pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr e Janaina Paschoal questionados pelos governantes que tem como argumento o alegado fato de "não ter gerado aumento de despesas". Em contestação o Senador Ronaldo Caiado expõe dados que provam o aumento de despesas em mais de 2 bilhões.
            Xeque-mate é como podemos chamar a colocação do Senador Cássio Cunha Lima com sua perspicácia e, profundo conhecedor do direito como advogado que é, às 4 horas, 41 minutos e 40 segundos da gravação quando destrói por completo o argumento dos governistas que classificam como simples prestação de serviços as operações realizadas com a Caixa e o Banco do Brasil ao arguir que em se admitindo a tese como verdadeira o governo estaria incorrendo em outro crime por não ter recolhido o respectivo tributo para operações da espécie, neste caso, o ISS. 
            Na guerra de convencimento do cidadão com vistas a convencer o eleitor e não ao próprio deputado que a esta altura já tem dados suficientes para formação de seu juízo, a criatividade dos parlamentares lança mão de chicanas jurídica, contabilidade criativa, metáforas, dramatização e tudo mais que possa sensibilizar o povo que já se manifesta, até mesmo com violência, como aconteceu no aeroporto Pinto Martins na recepção do Deputado José Guimarães, fato amplamente divulgado nas redes sociais. Vale notar que este expediente vem se acentuando no mesmo ritmo do calor provocado pela aproximação da Dilma com a fogueira do impeachment.
            Apesar do clima de muita tensão reinante em todo o Congresso Nacional, no Senado, pelo alto nível de seus membros,  ainda há espaço para "brincadeiras" como protagonizam Cássio Cunha Lima e Lindberg Farias a 4,57m da gravação. 

quinta-feira, 7 de abril de 2016

ONDE TEM PT TAMBÉM TEM VEJA - Escândalo da Refoma Agrtária

                                  V E J A 
  CodigoFonte.com.br

EU SOU O QUE VOCÊ PENSA DE MIM

            A efervescência do momento político que vivemos nos estimula e nos oferece matéria-prima para fazer uma das coisas que mais gosto; escrever. Como escrevo por diletantismo o que ganho com esta atividade é o prazer de receber manifestações de toda ordem, mesmo aquelas que não são simpáticas a alguns escritos meus.
            Dentro deste contexto surge oportunamente a manifestação de um leitor no campo destinado a "comentários" no corpo de uma matéria intitulada VIGILÂNCIA EPISTÊMICA dando conta de que teve a contribuição deste blog na resolução de problemas ligados a trabalhos escolares. É o que sugere o comentário.
            Poderia classificar o comentário recebido de "salvador" em meio a tantas outras manifestações em sentido contrário. Contudo, as acolho como necessárias ao balizamento das minhas colocações sobre determinados assuntos, com a mesma preocupação que manifesto na matéria acima referida.
            Aos que se deixam levar pela exacerbação da paixão política e fazem críticas ácidas sobre minhas tendências progressistas informo que não deixo de respeitá-las e acolhê-las, mas é imperativo que se entenda e o faço sob a forma de metáfora com se segue que o momento não permite outro posicionamento de qualquer um que se proponha a demonstrar os fatos como eles se apresentam.
 NÃO SE PODE PINTAR UM QUADRO AZUL DISPONDO APENAS DE TINTA VERMELHA

quarta-feira, 6 de abril de 2016

ENFIM, ESCLARECIDAS AS PEDALADAS FISCAIS

Fwid
            Mal acabo de postar matéria que considero um verdadeiro documento histórico pela sua importância e até mesmo pelo extenso conteúdo, vejo-me obrigado a retornar aos teclados pela urgência que requer o esclarecedor pronunciamento do Senador Paulo Bauer do Paraná com seus atributos de Auditor e Contador sobre as questionadas "pedaladas fiscais".
            Por se tratar de pronunciamento relativamente pequeno passo a comentar alguns aspectos mais relevantes para o entendimento do assunto, objeto principal deste post que teve início  a partir de 16 horas e 50 minutos se estendendo até aos 57 minutos e cinquenta segundos ao tempo que sugiro assistir ao vídeo desde seu início pelos importantes debates registrados, entre os quais, a leitura da Carta da CNA pela Senadora Ana Amélia e seus desdobramentos com os esclarecimentos da real situação do agronegócio brilhantemente apresentados pelo Senador Ronaldo Caiado. 
            Em apartes iniciados por José Agripino a explanação de Paulo Bauer é encontra respaldo na experiência vivida pelo ex governador Potiguar em casos semelhantes envolvendo bancos estaduais extintos.
            Fugindo da pecha de tendencioso, embora assuma minha simpatia pela oposição, cito o Senador Lindberg Farias, mas pela total falta de argumentos deixo a seu critério a decisão de ouví-lo ou não.
            Na sequência os demais aparteadores promovem um verdadeiro massacre intelectual, para não dizer moral, nos governistas destacando-se entre eles o reconhecidamente experiente político e advogado Cássio Cunha Lima que me remeteu a matéria recente (AQUI) onde fiz colocações ora referendadas pelo brilhante parlamentar na sua quase totalidade a partir do título e mais precisamente do seu preâmbulo.
            Diante do definitivo esclarecimento da questão só mesmo com muito esforço alguém consegue sustentar os surrados argumentos da situação.
            Aproveito para dar um conselho à bancada governista:  ao invés das chicanas jurídicas, procurem respaldo para seus argumentos no ESTATUTO HOMEM de Thiago de Mello ou, melhor ainda, na CONSTITUIÇÃO FEDERAL, SEGUNDO CAPISTRANO DE ABREU cujo teor completo transcrevo abaixo:

"Artigo 1º - Todo brasileiro deve ter vergonha na cara.

"Artigo 2º - Revogam-se as disposições em contrário.

A DIFICULDADE DE ESCOLHER UM BANDIDO PARA TORCER, NO SENADO

             Sem plagiar o ex deputado Roberto Jefferson, mas não esquecendo sua colocação objeto de matéria recente, venho neste post tentar transmitir meu sentimento sobre o pronunciamento do Senador por Roraima Romero Jucá, novo Presidente do PMDB. Além da comunicação de sua ascensão à direção do partido o senador fez um discurso em defesa do partido e de sua unidade.
            Batendo recorde de tempo no púlpito o senador se estendeu por mais de três horas sendo aparteado por quase todos os senadores de oposição e alguns da situação. Daí minha dificuldade de escolher entre o discursante e os aparteantes qual a mais comovente das intervenções vindas de homens tidos hoje como bandidos por grande parte da população.
            Da forma já usual, tentarei transmitir toda a emoção do evento enumerando alguns trechos do vídeo que provocaram neste blogueiro sentimentos que nunca imaginei sentir em uma sessão do Senado Federal. Para quem interessar assistir na íntegra informo que a partipação do Senador Romero Jucá começa às 7 horas e 23 minutos do vídeo.
            Como não poderia deixar de ser o primeiro aparteante do senador foi o petista, ex cara pintada, Lindbergh Farias com sua já surrada retórica "não vai ter golpe" e que um eventual governo Temer não teria legitimidade, citando Itamar Franco ao que foi contestado veementemente por Romero Jucá que chegou inclusive a vincular as esquerdas brasileiras ao Estado Islâmico a 7,48,15s. 
            Em seguida, exatamente aos 8 minutos, Aécio Neves faz um pronunciamento capaz de emocionar até mesmo os opositores pela seu didático e realista conteúdo não me permitindo sequer selecionar o enfoque mais importante.
            A 8.19,40s a situação representada pela Senadora Vanessa Grazziotin envereda na retórica de que Dilma não pôde governar a partir do início do segundo mandato e, como bem disse Romero Jucá adiante, a obsessão pelo ataque a Eduardo Cunha. Mudando um pouco de tática, desta feita passa a defender que pedalada não é crime.
             Em resposta Jucá lembrou bem episódios já retratados (AQUI) neste blog às 2,59m do vídeo da matéria do 5º ENCONTRO NACIONAL DO PT que deixa literalmente clara a intenção do PT de descartar o PMDB. Continua o senador lembrando a criação do Centrão que tinha como meta descartar não só o PMDB mas até mesmo o ex presidente Lula.
            Analogia ao futebol foi a tônica que permitiu tirarmos a conclusões dentro desta ótica que Michel Temer se equipara a Neymar saindo do Barcelona e os torcedores do time que ajudou  em tantas conquistas passando a ser aviltado na sua capacidade profissional.
            Logo em seguida, aos 8.29,40s Álvaro Dias faz ácido pronunciamento à decisão do PT em deixar o governo gerando  tensão no ambiente com acusações de ambos os lados.
           Em seguida, às 8.35,40s entra em cena Ronaldo Caiado que tem sido um dos pilares da construção do impeachment de Dilma com suas contundentes declarações que dispensariam maiores comentários não fossem as sérias acusações de uso do Planalto como quartel-general de resistência com a participação ativa dos movimentos sociais financiados com dinheiro público.
            Em relação aos citados movimentos sociais e suas constantes ameaças este blogueiro ousa compará-las às feitas por quadrilhas quando sofrem ações da polícia contra si ou seus membros.
             Ao tempo de 8.45,30s Tasso coloca os fastos no seu devido lugar ao lembrar que foi o próprio PT que boicotou o governo derrubando o Ministro Levy que tentava implantar um  pouco do que foi prometido na campanha eleitoral. Lembrou ainda as votações ocorridas no Senado para apreciar matérias de interesse do  governo onde o PT se posicionou contra.
            Com um pequeno lopso de memória o brilhante senador Cássio Cunha Lima fala do paradoxo da magnitude do PMDB que, segundo ele, apesar disso, nunca chegou à presidência da república, esquecendo de Sarney, embora tenha chegado lá de forma indireta e questionável. Feita esta observação volto ao brilhantismo e sobriedade que sempre me fez seu admirador, centrando suas observações na sua amada Paraíba que governou por duas vezes não esquecendo as ameaças vindas de dentro do Palácio do Planalto.
            Às 9,05m o Senador Cristovam Buarque que tem posicionamento sempre moderado assim como outros senadores que gozam da minha igual admiração, no caso o jovem Regulfe e o experiente Álvaro Dias, demonstra sua preocupação com o desfecho que vier a ter o impeachment de Dilma.
            O segundo senador cearense a se manifestar foi Eunício Oliveira, líder do PMDB, a 9.12,20s confirmando seu apoio à decisão do partido, como não poderia deixar de ser.
            Gleisi Hoffmann às 9.16,20s critica o PMDB, a reunião que chamou de "relâmpago" e argumenta que o senador Jucá tem vários cargos no governo por meio de indicações, sendo contestado a informação ao tempo que o senador afirma ter entregue os cargos por ele indicados, assim como foi orientado a todos os membros do partido. No tocante à sua atuação, embora não tenha votado na Dilma, ela lembra que sua atuação efetiva no governo.
            Chamo atenção para a citação do Ministro Marco Aurélio que, por coincidência ou não, viria a confirmar a afirmação da senadora de que o Ministro se posicionaria em favor da demanda que envolve o presidente da Câmara sobre o impeachment do vice Michel Temer.
            A 9.24m Garibaldi Alves cobra o cumprimento da decisão da Convenção Nacional que decidiu pelo desligamento do partido da base de apoio do governo. Em seguida corroborando com a fala do Senado Waldemir Moka, Zezé Perrella diz que os dissidentes devem deixar o partido assim como fizeram ele, Regulfe e Cristovam Buarque que deixaram do PDT por não concordarem com as ideias do partido.
            Assim como Tasso e outros mais, o também milionário Blairo Maggi do Mato Grosso a 9.29,10s manifesta seu apoio às decisão do PMDB dando ênfase à situação econômica do país, como empresário que é.
            Do Mato Grosso do Sul a herdeira do saudoso Ramez Tebet, Simone Tebet traz à luz desastroso discurso de Dilma de forma jocosa quando a Presidente profetizava que "todos irão ganhar e todos irão perder". Lembra ainda a senadora que já no segundo turno das eleições presidenciais o partido no Estado votou contra o governo com a anuência de Michel Temer. 
            Nova intervenção em favor do governo acontece a 9.37,50s com a participação do vice presidente da Casa Jorge Viana que elegantemente atacou a postura do colega e em contraponto aos números apontados sobre a aceitação do atual governo o petista traz números em favor do governo. Para justificar a fixação em Eduardo Cunha não fica fora do seu pronunciamento o nome do deputado assim como de seu colega Michel Temer. A certa altura houve um verdadeiro tumulto em virtude de uma colocação do aparteante ao perguntar quem teria perdido nos governos do PT.
            O jovem Randolfe Rodrigues, pernambucano de nascimento e senador pelo Amapá, às 9.53,30s faz a defesa de uma tese que tem crescido apontando para um saída do impasse sem passar pelo impeachment.
            Logo em seguida às 9.57,30 o também jovem, Senador Regulffe do Distrito Federal segue na mesma linha de raciocínio apontando ainda para o que considera a solução ideal referindo-se a denúncia em apreciação no TSE que versa sobre a captação de irregular de votos na última campanha presidencial, o que provocaria novas eleições, se decidido pelo acatamento ainda neste ano.
            A mocidade do senado continua com o pronunciamento do policial rodoviário federal  José Medeiros que representa o Mato Grosso, embora seja potiguar, a exatos 10 minutos do vídeo. O jovem senador resume sua fala com a expressão "a culpa é minha, eu ponho onde quiser", atribuindo-a aos situacionistas.
            Mais um representante do Centro Oeste vem na figura do empresário Tocantinense Ataídes Oliveira apontando números relativos a situação econômica e especialmente ao tema que tem sido sua tônica na Casa; o desemprego que, segundo sempre sustentou, já ultrapassa os 20%.
            Aproveito a oportunidade para mostrar, ao final do aparte do Senador Petecão do Acre a focalização da câmara no Senador Tasso tendo ao seu lado o deputado cearense Genecias Noronha.
            A 10.12,35s o gaúcho Lasier Martins provoca um assunto polêmico dentro do partido envolvendo o Presidente da Casa Renan Calheiros e sua conhecida aproximação com o governo.
            Flexa Ribeiro do Pará entre outros assuntos importantes remete ao ano de 2002 que, conforme sua palavras, foi a origem de tudo que está acontecendo, com a morte de Celso Daniel, aos 10.15,40s.
            Concluo com a participação do último orador Antonio Carlos Valadares, representante de Sergipe a 10 horas e 25 minutos apontados no vídeo que do alto da sua experiência enaltece as qualidades do colega sem, contudo, deixar de demonstrar sua preocupação com o Day After resultante da votação final do impeachment.

terça-feira, 5 de abril de 2016

COMENTÁRIOS SOBRE O RODA VIVA 04.04.2016 - Ministro Marco Aurélio

             Repetindo procedimento adotado em postagem anterior enumero alguns trechos do vídeo abaixo que me chamaram a atenção e sobre os quais assento minha opinião.
            Inicio com a participação do brilhante jornalista paraibano José Nêumane Pinto que, sem a menor sombra de dúvida, domina todo o programa com seu brilhantismo e perguntas desconcertantes até mesmo para quem já está acostumado com este tipo de debate que acaba se dando neste tipo de programa.
            Dos 6,45s aos 10,25s Nêumane critica o instituto do Foro Privilegiado e acusa o Supremo Tribunal Federal de leniência, insistindo na acusação após a resposta do Ministro dos 18,30s aos 21,45s.
            Fugindo à dureza do debate, dos 33,30s aos 37m o Ministro provoca gargalhadas ao, de maneira jocosa, "sou um juiz muito sugestionável" para fugir de uma situação que considerei vexatória.
            Nêumane volta aos 40,45 e é seguido por outros com severas críticas ao comportamento do governo enquanto Marco Aurélio se limita a argumentar que as instituições estão funcionando.
            De 44,20s a 51,40 Nêumane aborda um assunto por demais polêmico envolvendo membros do PT e a morte do ex prefeito de Santo André Celso Daniel.
            A partir de 1 hora, 5 minutos e 30 segundos do vídeo  Nêumane questiona declaração do Ministro admitindo recurso ao Supremo caso o legislativo decida pelo acolhimento do impeachment, seguindo-se a ele a pergunta da Jornalista Maria Cristina.
            No último bloco de 1,12 minutos a 1.15,50 segundos o mediador Augusto Nunes questiona a indicação do ex presidente Lula, oportunidade que o Ministro deixa clara sua simpatia pela medida.
            Finalmente entre 1.17,30s e 1.19,20s Nêumane faz sua última pergunta abordando assunto por demais delicado. Trata-se da nomeação de sua filha e de outro ministro pela Presidente Dilma para o cargo de Desembargadora. Menos de dois minutos foram suficientes para que o Ministro verbalizasse, a meu ver, algo que mais pareceu piada e de mau gosto. "Ela optou pelo voto de pobreza".
            Finalizando, a 1.22,14s Augusto Nunes pede a opinião do Ministro sobre a "delação premiada", opinião esta contestada por todos os demais jornalistas estendendo-se até o final do programa com a declaração de Nêumane Pinto:. "Saio daqui preocupadíssimo com o destino da Lava Jato".

LICITAÇÕES DESTE ANO ELEITORAL - Conheça e acompanhe

            Licitação ganha não significa necessariamente que a empresa vencedora irá receber a quantia vencida, muito menos que o município irá desembolsar todo o montante aprovado pela Comissão de Licitação. Por outro lado é bom que se diga que sem ela não é possível efetuar gastos com aquisição de bens e serviços e deverão ser balizados pelos parâmetros ali estabelecidos.
            Dito isto passo a discorrer sobre as últimas licitações aprovadas pela comissão municipal de licitação de Nova Russas pela ordem cronológica a partir do início deste ano.


EMPRESA GANHA LICITAÇÃO PARA MANUTENÇÃO DA FROTA

HAJA PAPEL!

            Das licitações acima ordenadas chamei a atenção dos leitores para o montante de cada uma relativamente aos preço praticados no mercado bem como em relação ao volume de produtos e/ou serviços licitados.
            Em relação à licitação que mostro a seguir, talvez por falta de conhecimento técnico, chamou a minha atenção a quantidade da área a ser capinada de 762.000,00m2 enquanto dados do IBGE indicam que o município tem área inferior a 743km2.

            Veja dados da licitação divulgada no portal Governo Transparente e tire suas próprias conclusões clicando na figura abaixo.

      GOVERNO TRANSPARENTECodigoFonte.com.br



segunda-feira, 4 de abril de 2016

NOS NOSSOS OLHOS - Habitação

            Faz parte da nossa herança portuguesa a frase "Pimenta nos olhos dos outros é refresco". Por não concordar integralmente com o provérbio venho mostrar que mesmo estando ao alcance dos nossos olhos e ouvidos muita coisa passa despercebida em razão de outro dito popular genuinamente nosso: "O brasileiro tem memória curta", ou mesmo propositadamente por motivos político-partidário e ideológico.
            Como melhor exemplo cito os feitos do regime militar hoje demonizado por aqueles que tendo feito bem menos pelo país se arvoram de criadores da roda. Para refrescar a memória dos incautos que se deixam levar por estas bravatas populistas trago alguns dos muitos feitos nesse período:
- Criação da Embratel, Banco Central, Sistema Telebrás, Embrapa e Embraer;
- Investimentos pesados em infraestrutura (rodovias, sistema Eletrobrás e as hidrelétricas de Itaipu, Sobradinho, Tucuruí, Ilha Solteira etc.; e
- Metrôs, Ponte Rio-Niterói, dentre outras obras importantes permitindo que nosso país saísse da 46ª posição para a 8ª potência econômica do planeta.
            Propositadamente não mencionei a criação do BNH-Banco Nacional da Habitação em 21 de agosto de 1964. O BNH tinha como função a gestão do FGTS e o financiamento do sistema habitacional e do saneamento básico. Sacudido por escândalos denunciados pela imprensa, em 1986 o BNH é extinto passando seus direitos e obrigações à Caixa Econômica Federal, inclusive a gestão dos recursos do FGTS.
            Depois de passar pelos governos Sarney, Collor, Itamar Franco e FHC, em 2009 o então presidente Lula resolve criar o programa Minha Casa, Minha Vida com o pretexto de permitir o acesso à casa própria de famílias de baixa renda quando, em verdade, visava socorrer as grandes empreiteiras que enfrentavam crise no setor.
            Corrobora com esta visão as estatísticas que apontavam em 2009 para um déficit habitacional de 8 milhões de moradias das quais o programa só conseguiu reduzir 2 milhões segundo dados da Fundação Getúlio Vargas. Além do mais especialistas dizem que a atual política de financiamento não atinge os mais necessitados das grande cidades aumentando a cada dia o número de favelados.
            Se não conseguiu reduzir o déficit entre as famílias de baixa renda das grandes cidades, no interior não foi diferente, até porque nestas cidades não existem grandes empreiteiras, maiores beneficiárias do programa.
            Por fim, lembremos que em governos anteriores aos petistas, através da FUNASA, foi permitida a erradicação das conhecidas casas de taipa com a construção de moradias e implantação de sistema de esgotamento sanitário entre outras políticas de habitação e saneamento desenvolvidas pela Caixa com recursos do FGTS.

Mais sobre o assunto em
EU NÃO NASCI HÁ DEZ MIL ANOS ATRÁS

VEM MAIS POR AÍ! - Brasileiros no "saco" internacional Mossack Fonseca

            Se de um lado o volume de recursos envolvendo brasileiros com a empresa (Offshore) Mossack Fonseca é inferior a muitos outros países, de outro observamos que a prática estava em fase de prospecção no país, lembrando sempre que o fato em si não significa prática delituosa, mas convenhamos que não é pecado culpar a raposa, 
            Nos chama mais atenção a constatação que os maiores volumes estão concentrados em países, se não autoritários, mas de regimes mais conservadores como Rússia, China e países Árabes.

PUTARIA - Acredite, se puder

             Hoje mesmo tratei de fatos que chamam a nossa atenção neste conturbado momento político que atravessamos.
            Eu só não esperava que o nível baixasse a essa categoria de "putaria".            
            Clique na imagem abaixo e, se puder. acredite que é verdade.
              BLOG DO JOSELITO MULLER 
  CodigoFonte.com.br

SE NÃO FOSSE TRÁGICO SERIA ENGRAÇADO - Roberto Jefferson

             Os últimos dias têm sido ricos em vídeos, especialmente sobre a vida política do país que nos traz fatos cada vez mais estarrecedores envolvendo autoridades do governo, do partido dos trabalhadores, de seus aliados e de opositores.
            Apesar de tudo eles ainda são capazes de produzir fatos engraçados, dentre eles a declaração do ex deputado que foi o principal protagonista do Mensalão, embrião da Lava Jato que atualmente tende a represar no seu nascedouro com a 27ª fase denominada Carbono 14.
            Se não fosse tão trágico seria engraçado

                             O ESTADÃO 
  CodigoFonte.com.br

domingo, 3 de abril de 2016

FHC, LULA E O PARTIDOS COMUNISTAS NO BRASIL

            Para levar ao leitor opção de acesso a informações importantes este blog não distingue pessoas, partidos ou ideologias mesmo que para isto seja necessário se incompatibilizar com alguns leitores mais radicais.
            O vídeo que disponibilizo abaixo é a prova maior desta afirmação e seu conteúdo, por mais questionável que possa parecer, coaduna com a visão deste blogueiro manifestada em diversos posts deste blog. 
            Em resumo, seu conteúdo, de forma didática, mostra-nos a origem dos principais partidos e o véu comunista que envolve todos eles e nos chama a atenção para o atual momento político. Em sendo verdadeiras todas as colocações contidas podemos concluir de forma simples e direta que sempre fomos enganados.
            Assista e tire suas próprias conclusões.


Mais sobre o assunto em


sábado, 2 de abril de 2016

TRAPALHADA TRAZ À LUZ LIMINAR ABSURDA DE MARCO AURÉLIO SOBRE IMPEACHMENT DE… TEMER!!!

            Sem dúvida nenhuma serei mais uma vez criticado por ler Veja, Istoé e outras publicações, mas confesso que se não mudarem os políticos, ou eu, continuarei nesta linha e, principalmente lendo e assistindo Reinaldo Azevedo.
            O motivo da admiração está no estilo de matérias assim como esta que posto a seguir, que dispensa reparos pela lucidez dos fatos apontados.
            Boa Leitura.

Marco Aurélio vai conceder uma liminar que tenta obrigar a recepção, pela Presidência da Câmara, de uma denúncia visando a um processo de impeachment contra Michel Temer, vice-presidente da República. Trata-se de uma farsa jurídica, de uma fraude intelectual e de uma mentira factual. E é o que vou demonstrar aqui.


Perdi a paciência com Marco Aurélio. Que diferença isso faz pra ele? Que seja nenhuma! Para mim, faz toda. E isso me basta. Mas vou contar por quê. Há categorias nas quais não admito zonas cinzentas. A honestidade intelectual é uma delas. Ou se é honesto intelectualmente ou não se é.

Este senhor saltou o muro cá na minha classificação. É raro alguém me enganar nessa área, mas impossível não é. Já cheguei a elogiar o que me parecia a coragem do doutor de andar na contramão, mesmo quando discordei dele. O arquivo esta aí. Agora vejo o que coragem não era, mas desejo de aparecer — isso na hipótese virtuosa.

Há um tipo de oportunismo que cresce à sombra da generosidade alheia. Cedo ou tarde, a fraude se revela. Já me livrei, no terreno intelectual, precocemente de algumas farsas. Outras duraram mais tempo. É o caso. E aí a admiração cede ao fastio. As características que antes pareciam interessantes se revelam só a reiteração da fraude. É chato! Prefiro admirar as pessoas a desprezá-las.

Marco Aurélio surpreendeu o direito, a lógica e o bom senso, há dois dias, ao convidar Dilma a recorrer ao Supremo contra a eventual aprovação da denúncia do impeachment pela Câmara, antecipando desavergonhadamente seu voto.

Deixou claro não ver crime de responsabilidade e ainda convidou a todos a um convescote. O ministro que, não raro, faz questão de ser do contra, convidou Executivo e Legislativo a se sentar à volta da mesa para resolver suas diferenças. Com mais ousadia, incluiria também o Judiciário, entregando o país ao comando do “PUN”: o Partido Único.

Eu estava ontem no médico quando mensagens começaram a pulular no meu celular. “Viu o que fez Marco Aurélio?” “E Marco Aurélio, hein?” “O Temer também vai ser impichado”? Como Cid Gomes, o não alfa da Família Gomes, havia decidido também pedir o impeachment do vice, fiquei lá pensando, deitadão: “Mas que diabos Marco Aurélio tem a ver com isso?”.

Bem, o caso não estava relacionado aos chiliques dos Irmãos Gomes. Era outra coisa. No começo da madrugada, em casa, fui me informar a respeito. É estupefaciente!

Vamos ao caso
Qual é o busílis? Um advogado chamado Mariel Márley Marra havia protocolado há tempos na Câmara uma denúncia por crime de responsabilidade contra Michel Temer, acusando-o de responsável por algumas pedaladas fiscais.

Cunha, sem ver motivos para tanto, mandou arquivar o pedido. O doutor Mariel resolveu entrar com um mandado de segurança, com pedido de liminar, para obrigar o presidente da Câmara a aceitar o pedido, mandando constituir a comissão para avaliar o caso.

E o que fez Marco Aurélio? Resolveu ser a notícia do fim de semana. Encaminhou um despacho, que acabou sendo divulgado precocemente, sem a sua assinatura — e aí o troço foi recolhido —, em que escreve o seguinte:
“Ante o quadro, defiro parcialmente a liminar para, afastando os efeitos do ato impugnado, determinar o seguimento da denúncia, vindo a desaguar na formação da Comissão Especial, a qual emitirá parecer”.

O senhor Marco Aurélio parece querer usurpar para si e para o STF uma função que, por determinação do Parágrafo 2º do Artigo 218 do Regimento da Câmara, é exclusiva da Presidência da Casa, a saber:
“§ 2º Recebida a denúncia pelo Presidente, verificada a existência dos requisitos de que trata o parágrafo anterior, será lida no expediente da sessão seguinte e despachada à Comissão Especial eleita, da qual participem, observada a respectiva proporção, representantes de todos os Partidos.”

Mas não é só isso, não. Lembram-se das liminares concedidas por Teori Zavascki e Rosa Weber contra o rito do impeachment que havia sido decidido por Cunha? Pois é… Elas fizeram duas coisas, confirmadas pela maioria dos ministros: suspenderam o rito, MAS REAFIRMARAM QUE É PRERROGATIVA DO PRESIDENTE DA CÂMARA RECEBER OU RECUSAR A DENÚNCIA. E FIM DE PAPO.

Ora, foi por isso que, à época, escrevi aqui que os dois ministros não tinham tirado poder nenhum de Cunha. Só tinham cassado mesmo o de a oposição recorrer caso o presidente da Câmara tivesse rejeitado a denúncia. O texto está aqui.

Aliás, houve até uma coisa engraçada. Deputados petistas resolveram recorrer ao Supremo contra a decisão de Eduardo Cunha. Anunciaram depois a desistência porque o relator seria Gilmar Mendes. Com a maledicência costumeira, afirmaram que não adiantaria mesmo, já que o ministro iria votar contra o interesse do PT. Era pura patranha. Eles sabiam não haver a menor chance. Escrevi a respeito aqui no dia 3 de dezembro.

A trapalhada
Parece que Marco Aurélio havia preparado o factoide para este fim de semana, provocando, como se diz, acalorado debate. Talvez seja coincidência, talvez não, que a peça tenha ficado pronta ao mesmo tempo em que Cid, o El Gomes, também resolve pedir o impeachment do vice. Mas aí houve o erro. Veio a público antes que ele pudesse assiná-la. Teve de retirar. Mas ninguém mais duvida do conteúdo da liminar.

Se Marco Aurélio realmente conceder a liminar, restará à Presidência da Câmara entrar com agravo regimental para que os demais ministros decidam. E é claro que a liminar será derrubada com base no Regimento Interno da Câmara e na jurisprudência.

Que pena!
Que pena Marco Aurélio estar a desempenhar esse papel! Há um grande estranhamento em certos nichos do direito com o seu exótico comportamento. Há, no entanto, quem o ache explicável e aponte a guinada, vamos dizer, pró-Planalto de Marco Aurélio depois que a filha, de apenas 37 anos, foi nomeada pela presidente Dilma desembargadora do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que abrange o Rio de Janeiro e o Espírito Santo.

Sim, ela foi a mais votada de uma listra tríplice enviada pelo tribunal à presidente. Venceu dois profissionais bem mais experientes: Rosane Thomé, de 52 anos, e Luiz Henrique Alochio, de 43. Comenta-se que o Planalto se movimentou para conquistar esse resultado.

Que chato! Prefiro admirar as pessoas a desprezá-las; apontar-lhes o talento a lhes perceber a falseta. Desta feita, o ministro foi um pouco longe demais. Ainda que seja só pelo desejo de aparecer.

Coisas estranhas
É bom que fiquemos atentos. Num dia, um dos integrantes da corte, como Roberto Barroso, deixa claro que não considera o PMDB uma alternativa de poder — como se lhe coubesse tal papel. E o fez nas dependências do Supremo, como ministro do Supremo. No outro, essa peça lamentável produzida por Marco Aurélio.

Há dois dias, este senhor estava vituperando contra o impeachment de Dilma. Mas resolve usurpar uma competência do presidente da Câmara para dar sequência a um absurdo pedido de impeachment de Temer.

Por que absurdo?
Notem! Estou me referindo à denúncia apresentada. Numa curta vacância em que exerceu a Presidência, Temer também teria assinado decretos irregulares na área fiscal.

É um despropósito: todo mundo sabe que vice assina em lugar do titular, quando este não está, por mera formalidade burocrática. O ato de ofício que chega à sua mesa teve semanas — e até meses — de preparação. Nunca é uma decisão pessoal. Faz parte do decoro não interferir na gestão, a não ser em situações de emergência, geralmente relacionadas à segurança coletiva.

Lamento muito ter de escrever assim. Mas o bom senso lamenta muito mais os atos recentes de Marco Aurélio.

O 5º CONGRESSO NACIONAL DO PT E SEUS RESULTADOS

            Para quem tem saco (paciência) de assistir por mais de três horas o vídeo abaixo, fica fácil entender tudo que acontece hoje no país. Para os demais indico apenas alguns trechos que considero mais importante do que foi dito por proeminentes figuras dentre os minguados participantes do 5º Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores em Abril do ano passado.
            Após algumas exposições de figuras importantes da mesa, aos 73 minutos (1 hora e 13 minutos) aparece em cena Gilberto Carvalho como personalidade central do encontro pela sua proximidade (ou cumplicidade) tanto com o partido quanto com o governo. Como não poderia deixar de ser iniciou corroborando com a fala de seus antecessores ao tempo que contraria orientação de ignorar a conjuntura atual passando a defender a prisão do ex tesoureiro João  Vaccari Neto e logo em seguida dá início ao seu discurso de ataque ao capitalismo e o lema que lhe é mais caro; o controle da mídia.
            A partir de 2,30m, especialmente com a participação do ator Sérgio Mamberti fica mais clara a linha traçada para o Congresso, inclusive com a confissão de apoio ao chamados Black Blocs. Em sequência o lema de Gilberto Carvalho recebe mais atenção, inclusive com o retorno do mesmo aprofundando-se na análise e sugerindo a criação de mecanismos para enfrentar o avanço das ideias contrárias ao projeto de poder do partido.
            Ao final do evento, aos 2,59min temos o ataque frontal ao PMDB que, segundo o expositor, não tem fidelidade, lealdade, ou compromisso com o programa de governo.
            Finalizando, Emir Sader confirma que os meios de comunicação são  vistos pelo PT como o principal empecilho aos projetos de dominação em curso e que o PMDB foi importante assim como Ciro Gomes para as últimas eleições, mas deixa claro que é necessário livrar-se do primeiro.